Entre as 25 cidades escolhidas, apenas 4 são mineiras. Município ficou em 11º lugar em todo o território nacional

O município de Mateus Leme, por meio da Secretaria de Educação, foi o único da região metropolitana de Belo Horizonte (RMBH) a ser escolhido no concurso “Boas Práticas de Agricultura Familiar para Alimentação Escolar”, aberto em março deste ano pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). O projeto foi apresentado pela servidora Simone Cristina Pasqui.

 

O objetivo do concurso foi diagnosticar quais os municípios no país alcançaram percentual mínimo de 30% em compra da agricultura familiar na alimentação escolar nos exercícios de 2013 a 2015 (informações no portal do FNDE); quais estiveram adimplentes com a prestação de contas do PNAE até o exercício de 2015; quais possuem Conselho de Alimentação Escolar (CAE) adimplente; e ainda quais possuem cadastro de nutricionista responsável técnico no Sistema Integrado de Monitoramento, Execução e Controle do Ministério da Educação (Simec). Os 25 vencedores, sendo a maioria do sul do país, enviaram documentação exigida no edital de convocação, respondendo e comprovando as informações.

 

No próximo dia 3 de outubro, as experiências exitosas selecionadas irão compor um Caderno intitulado “Boas Práticas de Agricultura Familiar para a Alimentação Escolar: criatividade e inovação na aplicação da Lei nº 11.947/2009”, edição 2017, que será lançado em outubro.

 

Em Mateus Leme, a agricultura familiar atende aproximadamente 8 mil alunos matriculadas em 14 escolas (municipais e estaduais), 1 Umei, 1 creche, além da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) do município.

 

Cardápio Diversificado

Com a nova prática, os ingredientes adicionados à alimentação escolar são: saladas (berinjela com tomate), farofas (vagem e carne desfiada), caldos (caldo de mandioca com feijão), arroz temperado (arroz com brócolis), sopas e ensopados (sopa de inhame, cenoura e chuchu) e refogados (quiabo com frango).

 

Distribuição e comércio com outros municípios

Os próprios agricultores com ajuda da Emater-MG fretam caminhão que fazem o transporte da mercadoria, cujo valor considerado na formação do preço não ultrapassa o valor médio pago no mercado local, devido a não existência de atravessadores.

Em 2012, o Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar da Universidade de Ouro Preto (CECANE-UFOP) estimulou a criação de uma cooperativa para que houvesse formalização e maior organização por parte dos agricultores. A cooperativa foi formada em 2013, o que permitiu que fossem expandidas as vendas para outros municípios como Lagoa Santa, Vespasiano, Matozinhos, Belo Horizonte e Betim.

Após criada a cooperativa, também foi firmada parceria com a “Laticínios Betim” que passou a pasteurizar o leite proveniente dos pequenos produtores e a Secretaria de Educação passou a adquirir leite tipo C. Feijão também foi incluído na lista de produtos disponíveis.

 

Em Mateus Leme/MG, os valores empregados com agricultura familiar crescem a cada ano. Em 2016, esse valor foi de R$ 173.451,50, o que representou cerca de 79% dos valores repassados pelo FNDE, muito diferente dos R$ 5.487,49 gastos no primeiro ano. Com essa conquista, todo o município saiu vitorioso. Tem-se mais renda no campo e mais saúde nas escolas.