Noticias

Em comemoração ao mês dedicado às crianças e aos professores, o Projeto Municipal Acolher, em parceria com o Conselho de Desenvolvimento Comunitário de Azurita (CONDECOMA) e com a Unidade de Acolhimento Bem Me Quer realizou aos envolvidos um dia extremamente divertido em um sítio. Brincadeiras, sorteio de brindes, lanches e almoço com direito a churrasco foram algumas das atrações. A prefeitura salienta que arcou especificamente com o transporte das crianças, por meio da Secretaria de Educação, sendo que os demais parceiros contribuíram significativamente com o desenvolvimento da ação.

 

Com o país passando por uma de suas crises mais acentuadas, a população tem tido dificuldades em conseguir emprego. Diante disso, a Prefeitura de Mateus Leme, em parceria com o Governo de Minas, pretende terminar as obras do Centro Comunitário – av. Getúlio Vargas, 541, Centro, para poder abrigar a Universidade Aberta Integrada de Minas Gerais (UAITEC) no município.

 

A reforma conta com pintura e adaptações internas, além de troca de telhado, sendo que os recursos para a sua realização das obras são da prefeitura.

 

A previsão é que os cursos técnicos e superiores que ainda serão escolhidos pela administração, de acordo com a demanda, estejam funcionando no início do ano que vem.

Variedade de empreendimentos significa mais oportunidades de emprego e renda

A Prefeitura Municipal de Mateus Leme participou da 31ª edição da Superminas Food Show, uma das maiores feiras supermercadistas e da panificação do país, organizada pela Associação Mineira de Supermercados (AMIS) e pelo Sindicato e Associação Mineira da Indústria de Panificação (Amipão). O evento, realizado nos dias 17, 18 e 19 de outubro, em Belo Horizonte (no Expominas), pretende ser uma vitrine de empresas ligadas ao setor, demonstrando as potencialidades de cada uma delas; o que significa um atrativo ao município, uma vez que a geração de empregos é uma preocupação constante da atual administração.

"Tive a oportunidade de conversar e conhecer empresários de vários segmentos da alimentação, como empresas de doces, massas e até de embalagens. E saio daqui com algumas reuniões engatilhadas". Afirmou o prefeito Júlio Fares.

Aintenção da administração é abrir o leque de trabalho e investimentos no município para promover mais renda e oportunidades aos jovens e pais de família da cidade, que, devido à crise financeira que assolou o país, acabaram ficando desempregados.

Os mateuslemenses que desejam pagar o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) de 2017 podem fazê-lo até a próxima terça-feira (10 de outubro).

Segundo a Secretaria Municipal de Planejamento e Fazenda, os carnês do imposto foram postados e encaminhados aos contribuintes no início de setembro. Porém, quem não o recebeu, e quer quitar a dívida, pode retirar a guia no endereço eletrônico www.mateusleme.mg.gov.br, ou no Setor de Tributos, situado na rua Pereira Guimarães, 08, Centro.

Os valores constantes nas tabelas utilizadas para o lançamento do imposto foram atualizados de acordo com o acumulado da inflação de 2016, e podem ser pagos através de cota única, até o dia 10 de outubro.

Já quem pretende parcelar o valor total, também poderá dividi-lo em até três parcelas iguais, mensais e sucessivas, com acréscimo de 1% para valores superiores a R$ 150, sendo que a primeira parcela, para que não incida multa, deverá ser quitada até o próximo dia 10. As demais vencerão no dia 10 dos meses subsequentes.

O contribuinte que não quitar a cota única ou a primeira parcela até o dia estipulado, incorrerá em multa de 20% do valor vencido, além de juros acumulados de 1% ao mês.

 A Prefeitura de Mateus Leme realiza oficinas terapêuticas aos 15 usuários da Saúde Mental, uma vez por semana – nas quintas-feiras, de 9h às 11h. A iniciativa é ministrada pela enfermeira e coordenadora da unidade, além de uma psicóloga.

No espaço, os usuários têm a oportunidade de trabalhar com a terra, por meio de horta e cultivo de plantas ornamentais.

O objetivo da atividade é fortalecer os laços afetivos e a prática do trabalho em conjunto. Além disso, a oficina contribui para auxiliar na interação com as demais pessoas do convívio diário, como os familiares e a comunidade em geral onde o usuário está inserido. Também faz parte da prática, a promoção da paciência e do cuidado com os seres vivos.

Para a coordenadora da Saúde Mental, Carla Alessandra, as oficinas são essenciais para a autonomia do usuário, além de estimular a inclusão social e a reabilitação psicossocial. "As oficinas são instrumentos que, na sua plenitude, acolhem a crise, amenizando seus efeitos e colaborando significativamente com a construção de um projeto terapêutico singular”.

Ainda, segundo Alessandra, a oficina faz com que “os usuários entendam as dificuldades de outros usuários e se ajudem mutuamente, além de possibilitar, não só atividades de ‘lobos’, mas que, no final, eles transfiram as novas possibilidades à vida cotidiana”, concluiu.